Aguarde!
 Carregando o Conteúdo
          desta Página...
Home TopGyn
Envie por E-mail Fale Conosco

SEXO DURANTE A GRAVIDEZ - PERGUNTAS E RESPOSTAS - Todo mundo sabe que gravidez não é doença. Por isso mesmo nada impede que durante esse período o casal mantenha uma vida sexual ativa. Basta a mulher descobrir junto com o parceiro posições confortáveis, dando preferência às em que a mulher possa controlar os movimentos e às que não pressionem a barriga. Mas, além disso, muitas são as dúvidas sobre os riscos das relações sexuais para a saúde da gestante e do bebê.

1 - Corro risco de transar grávida? Em princípio, não faz nenhum mal fazer sexo durante a gravidez. Mas é importante que a mulher faça o pré-natal para avaliar como está a gestação. Em casos de gravidez de risco, é preciso haver mais cuidados e não é recomendável ter relações até a 12ª semana. Esse é o tempo necessário para que a placenta esteja totalmente formada.

2 - Até que mês é saudável transar grávida? A partir do 8º mês já não é mais recomendável a prática sexual. A penetração, nesse período, pode estimular o parto prematuro. O peso da barriga também vai dificultar esforços físicos e o sexo.

3 - Vou sentir dor fazendo sexo grávida? Com o aumento da produção de hormônios durante a gravidez, a mulher fica mais sensível e o sexo pode se tornar doloroso. As mudanças no corpo feminino também contribuem para tornar as relações um pouco mais incômodas. Já no 1º trimestre a vagina incha internamente, podendo causar desconforto na hora da penetração. Nos últimos meses o canal vaginal se encurta, facilitando o contato do pênis com o colo do útero.

4 - A transa faz mal para o bebê? Essa é uma das maiores preocupações do casal. Na realidade, o sexo não causa problema nenhum ao bebê. Durante a penetração o pênis não chega ao útero, podendo alcançar somente o colo uterino, que amortece o toque. O sêmen também não entra em contato com o feto, que está protegido pela bolsa.

5 - O tesão continua o mesmo ao longo dos 9 meses de gestação? A gravidez não interfere no desejo sexual. Algumas mulheres acham até que ficam mais sensuais nesse período. Alguns lugares do corpo, como os seios, se tornam mais sensíveis ao toque, podendo dar mais prazer à mulher as carícias nessa região. Outras, porém se sentem feias com as mudanças no corpo e, por isso, podem perder o interesse sexual. Se a gravidez não é desejada, o interesse sexual também pode diminuir por problemas emocionais. As mulheres costumam sentir mais prazer no segundo trimestre da gestação, quando aumenta a lubrificação vaginal. O tesão só tende a diminuir perto do nono mês.

6 - Meu parceiro vai perder o interesse sexual por mim durante a gravidez? O que faço se isso acontecer? Alguns homens costumam santificar a companheira quando ela está grávida e passam a vê-la apenas como a mãe do seu filho. Pensando assim, o interesse sexual do parceiro pode diminuir. Se isso acontecer, a mulher deve demonstrar que ainda tem tesão e deixar bem claro que gostaria de fazer sexo com ele. Mostrar os pontos em que você ainda pode ser estimulada é um bom começo. Até porque o casal não precisa sentir prazer só com a penetração. Alguns homens, no entanto, agem de modo diferente, têm fantasias com mulheres grávidas e se excitam mais nesse período.

7 - Quais são os cuidados que devo ter transando grávida? Se a gravidez não é de risco, os cuidados se restringem à procura de uma posição sexual mais confortável. É recomendável também fazer um sexo mais tranqüilo, sem movimentos bruscos. Se está havendo dificuldade com a penetração vaginal, o casal pode investir em outras modalidades, como a masturbação e o sexo oral.

8 - O sexo pode causar sangramento? Caso isso aconteça, corro o risco de perder o bebê? Algumas vezes a penetração pode resultar em um trauma uterino, provocando sangramento. Se isso acontecer, é bom evitar a relação durante uma semana. Se o sangramento não voltar, é sinal de que foi realmente por causa do sexo e está tudo bem com o bebê. Depois desses dias, o casal pode voltar a ter relações. Mas, se o sangramento persistir, pode ter outra causa e é necessário procurar ajuda médica.